20.12.19

15.11.19

Apresentação do livro "Lagoa: Olhar a Terra, Olhar o Mar

Auditório do Convento de S. José, Lagoa
Um agradecimento muito especial à Câmara Municipal de Lagoa, que connosco embarcou neste projecto desde o primeiro momento com alma e coração, e ao Francisco Alberto que teve amabilidade de aceitar o convite para apresentar o livro e o fez de uma forma brilhante.

31.10.19

Apresentação do livro "Lagoa: Olhar a Terra, Olhar o Mar"

Apresentação do livro "Lagoa: Olhar a Terra, Olhar o Mar"
Textos de Luís Gaivão e desenhos meus
7 de Novembro de 2019 | 18h30 | Convento de São José, Lagoa
Desenhos e textos realizados no local

A Praça João do Rio da Maria Celeste

Hoje, é o aniversário do nascimento da Maria Celeste.
Sempre que passo pela Praça João do Rio, lembro-me da Maria Celeste. Para mim, será sempre a Praça João do Rio da Maria Celeste.

24.10.19

Café à beira-rio

Café à beira-rio, Portimão.

20.10.19

Centro de Ciência do Café, Campo Maior

Desenho a tinta da china e café realizado durante o workshop orientado pelo Vicente Sardinha e pelo João Sequeira no Centro de Ciência do Café, Campo Maior, no âmbito do Traço 19 - Festival de Desenho do Alentejo.

16.10.19

Exposição Itinerante "Angola: Muxima, desenho e texto"

Integrada no Traço 19 - Festival de Desenho do Alentejo, inaugura no próximo sábado, às 10 horas, no Centro de Ciência e Café, Campo Maior.

30.9.19

(a)Riscar o Património no Restaurante

Com desenhadores, nem à refeição há pausa no desenho. Até o almoço é mais saboroso : )

(a)Riscar o Património no Museu de Estremoz

 BONECOS DE ESTREMOZ
A partir de um fragmento do séc. XVII encontrado numa escavação arqueológica e sustentado num documento do início do séc. XVIII, determinou-se a origem desta tradição bonecreira em Estremoz. A devoção esteve na sua origem uma vez que estátuas de madeira ou pedra eram inacessíveis ao povo. O séc XVIII foi seu período áureo. No século seguinte introduziram-se novos temas tais como o Carnaval, mundo rural e urbano. No séc. XX assiste-se à renovação e recuperação da tradição que entrara em decadência devido à falta de qualidade de modelação. Hoje em dia as técnicas são mais apuradas e há inovação dos modelos. (Resumo do folheto do Museu Municipal de Estremoz)
Desde 2014 que os Bonecos de Estremoz fazem parte do Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial e são Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO desde 2017.
Desenhei o "Amor Cego" (2014) de uma artesã que muito admiro: Maria Luísa da Conceição de quem tenho 5 lindas peças e a "Dama dos Pézinhos" (1941) da Escola de Artes o Ofícios cujo director, José Maria Sá Lemos, na década de 30 foi o grande impulsionador da tradição bonecreira.

(a)Riscar o Património no Mercado de Estremoz

 «Um dos ex-libris da cidade de Estremoz é o mercado tradicional que se realiza, todos os sábados de manhã, no Rossio Marquês de Pombal. Semanalmente, o campo vem à cidade e traz cestos cheios de frutas, hortaliças, cereais, azeite, queijos, azeitonas, enchidos e animais. Estes produtos são frescos e podem ser adquiridos diretamente ao produtor.»
Desenho realizado no âmbito do evento (a)Riscar o Património, dinamizado pela Direcção Geral do Património Ciultural e Urban Sketchers Portugal que ocorreu em simultâneo em várias cidades do país para celebração das Jornadas Europeias do Património. Em Estremoz, a organização deste encontro de desenhadores coube aos Évora Sketchers.